18 de maio de 2011

Crônicas de um Gamer - Resident Evil: Adentrando no mundo do "Horror de Sobrevivência"

Uma das coisas mais fascinantes que o videogame pode nos proporcionar é a emoção de estar na pele de um personagem e vivenciar uma história, como se fosse um filme, mas com a diferença de que você é o ator principal e tudo está em suas mãos.

Na maioria dos jogos que vemos por aí, apenas controlamos os personagens como se fossem bonecos de marionete, mas existem alguns poucos e raros que não apenas nos coloca no controle do personagem, mas também nos faz imergir naquele mundo, como se nós mesmos estivéssemos dentro do jogo. Um desses raros foi lançado em 1996 e se chama Resident Evil. Me lembro como se fosse ontem.

Era um dia chuvoso e eu fui á locadora, (estabelecimento popularmente conhecido por aqui como "Game") quando me deparo com aquele jogo, que mais parecia um filme e ainda era de terror. Mal sabia eu e todos aqueles que assistiam atentamente, qual a repercussão que aquele jogo iria fazer.

A partir daquele dia, Resident Evil era o mais jogado naquela Game. Me lembro que naquela época, essa locadora só tinha uma TV de 29 polegadas e nela só eram colocados os jogos mais TOP, e quem jogava nela com freqüência também, eram os caras que trabalhavam e jogavam com o tempo "em aberto", geralmente por mais de 3 horas. Pois essa TV foi por muito tempo a tela que mais nos levou para dentro do mundo daquele "Horror de Sobrevivência", e na maioria das vezes apenas como telespectador, fato que se tornou comum a partir dali. Muita gente passou a freqüentar a Game apenas para assistir aquele jogo/filme. Todos queriam saber os segredos que existiam naquela mansão.

Aquele clima tenso que o jogo trazia com músicas sinistras e sons perfeitos, tiravam calafrios de quem jogava e de quem assistia. A cada parte da mansão que adentrávamos, a tensão aumentava, afinal, monstros se escondiam em todos os cantos, e a cada porta que se abria (e demoravam pra abrir!) havia o risco deles nos receberem repentinamente com um susto (e uma mordida também). Sustos que geraram muitas cenas engraçadas de moleques que saiam correndo da Game com medo e de gente que até caiu da cadeira, tamanho foi o espanto. Aquelas cenas com atores, da abertura e do final, deixavam todos boquiabertos. Realmente era um jogo/filme. Claro que hoje eu reconheço que a dublagem e as interpretações dos atores não foram das melhores, mas no contexto e época em que o jogo foi lançado, aquilo era um espetáculo! Todo mundo queria assistir as cenas com os atores ( principalmente as cenas com a Jill ^^).

Algo legal que aconteceu na época também, foram os boatos que surgiram com respeito á história do jogo, devido á falta de conhecimento do Inglês. O pessoal que freqüentava a locadora, de Inglês só sabia o básico dos básicos (Start, Option, Easy, Two Players...) e olhe lá, então a galera de acordo com fatos ocorridos no jogo, falavam o que achavam que era. Me lembro de uma que disseram que: Os zumbis da mansão, originalmente eram uma família que foi exposta ao vírus ( bem grandinha essa família não?! rsrs).

Resident Evil foi o jogo que quebrou os padrões dos games que estávamos acostumados a jogar. Ele realmente nos levava pra dentro da história. Encarnávamos os personagens quando jogávamos ou mesmo quando assistíamos, de modo que só faltava mesmo as mordidas doerem de verdade. Aquele jogo dava medo.
Algo que me fascina muito é que todos, repito: TODOS, naquela locadora paravam, formando roda em torno da TV, para assistir alguém jogar Resident Evil. Coisa que, nos meus muitos anos de jogatina, eu jamais vi até hoje um outro jogo fazer.

Há algum tempo, tive o prazer de jogar e terminar a versão Remake para Game Cube. Os gráficos realmente estão espetaculares, mas na minha opinião... gráfico nenhum supera as cenas com os atores e nada substitui o charme da vozes dos dubladores canastrões da versão original.
Resident Evil marcou aquela época e aquela geração de gamers que estavam acostumados a jogar Super Nes e Mega Drive. Me fez vivenciar muitos bons momentos de diversão que recordo até hoje e que sempre lembrarei, pois foram momentos inesquecíveis.

Abaixo você confere alguns trechos tirados da revista Gamers nº9 que avaliam o jogo, e um video com a abertura sem cortes.
Repare nessa crítica
Foi considerado o jogo do ano de 1996

6 Comentários:

aki é rock disse...

Muito bom esse jogo cara mas nunca tive a chance de jogar ele mas o segundo eu zerei jogando com um amigo .O remake é muito bom tem varias coisas a mais no jogo mas o clássico é do psx ainda é bom .

Pirata disse...

Sensacional esse jogo, toda a série é mto boa, mas esse primeiro. Grandes momentos jogando isso ai.

Anônimo disse...

tambem conheci resident evil na locadora perto de casa... e numa tv de 29 polegadas tb.. a unica da locadora e unica de ps1... muito show... lembro de uma vez ter jogado até chegar na parte dos hunters pulando na minha frente... o medo foi tao grande que parei de jogar e passei pra outro pios nao conseguia mais... kkkkkk o meu substituto foi até mais longe... morreu na pedra na caverna... bons tempos...

Vitaoz disse...

at´pe hoje quando bate a saudade eu jogo, tenho pra pc, ps2 e (cd do psone) e no nintendo DS... pra mim sera um jogo q nunca irei esquecer em toda minha vida de gamer... os sustos eram mto bons e era mto tenso a ponto de eu e meus amigos pularem na frente da TV, bons tempos, e parabens pelo site!

Gustavo Coradini disse...

Nossa, q saúdade d jogar esse jogo com os meus amigos. Lembro de passar dias inteiros só jogando Resident Evil 1, 2 e 3. Jogos clássicos que dão de 1000x0 nos Resident Evil 4, 5 e 6.

Tonho Dc disse...

B-D-E-C-A-F...entendedores entenderão