14 de fevereiro de 2009

Splatterhouse (Turbo Grafx-16)

Fabricante: Namco
Lançamento: 1990
Gênero: Terror
1 Jogador

"O horripilante tema deste jogo pode ser inapropriado para crianças... e covardes."
(texto retirado da contracapa do game)

Aproveitando o gancho da famosa "Sexta-Feira 13", trago hoje o review de um jogo que fez uma grande homenagem á diversos clássicos do terror, Splatterhouse.

Pegue os filmes "Sexta-Feira 13", "Evil Dead" e "A volta dos morto vivos", jogue tudo num liquidificador e pronto, você tem Splatterhouse, uma obra prima lançada pela Namco em 1990. Primeiramente foi lançado para Arcade e em seguida, devido ao sucesso que acabou fazendo, ganhou versões para os consoles caseiros Turbografx, Pc Engine e uma versão totalmente diferente e infantilizada pela Nintendo, para o NES. O jogo chamou atenção por ser o mais violento e bizarro game daquela época, recebendo pela primeira vez na história uma classificação etária (+17 anos), coisa que nunca havia acontecido até então.

Splatterhouse trás Rick e Jennifer, dois estudantes de parapsicologia de uma grande universidade, que saem em busca do "Dr.West”, um famoso parapsicólogo que desapareceu misteriosamente em sua mansão. Existem rumores de que ele fazia experiências genéticas e místicas, mas nada era confirmado. Pois então o casal de estudantes resolve ir até a mansão e tentar descobrir o que aconteceu na realidade.
Chegando lá, uma forte tempestade começa e os dois jovens acabam se abrigando na mansão. Ao entrarem, percebem um ar sombrio na casa, a porta se fecha e Rick recebe um golpe na nuca ouvindo os gritos de Jennifer. Rick acorda inexplicávelmente com uma estranha mascára (bem semelhante ao Jason de Sexta-feira 13) e saí em busca de Jennifer que desapareceu. Agora, com poderes da estranha mascára, Rick está pronto para estraçalhar as criaturas bizarras criadas pelo Dr.West, e salvar sua amada. Assim se inicia o jogo.

Antes de Splatterhouse já existiam alguns jogos que abordavam o tema Terror em vários consoles, e que, apesar de também serem assustadores para suas épocas, não foram tão impactantes quanto Splatterhouse, visualmente falando, já que o game trouxe excelentes gráficos com personagens grandes na tela, cenários cheios de detalhes como tripas, sangue, corpos mutilados, enforcados, acorrentados e etc, coisas típicas dos filmes B, os famosos "Slasher Movies". Sua trilha sonora também impressionava, com temas assustadores que causam uma cérta tensão, deixando o jogador nervoso, no clima apropriado para o jogo.
A jogabilidade é excelente, apesar da movimentação não ser tão precisa. Seus golpes variam entre socos, chutes, voadoras e rasteiras, sendo que durante o jogo, você terá várias armas ao seu dispor que são encontradas durante as fases. O arsenal varia entre Trabucos, facões de açougueiro, lanças e etc, nada que não tenha em um bom e velho filme de terror!

Este foi um jogo ousado pra sua época, em que não era comum esse tipo de “gore” nos games. Existem até boatos de que o jogo teria sido proibido em algumas cidades nos E.U.A.
Splatterhouse sem dúvidas, é um prato cheio pra quem curte terror ou para aqueles que já estão enjoados dos "Final Fights" e "Streets of Rages" da vida, e buscam um jogo no estilo "briga de rua", diferente de tudo que já viu ou experimentou. Splatterhouse é um clássico e mostra que o terror também é encontrado nos arredores dos 16 bits, e escondido com muitos sustos!


Fontes:
Boca do Inferno
Wiki

1 Comentários:

Feliphe Queiróz disse...

Muito bacana o jogo, gráficos e enredo, não sei se o conhecia de alguns 15 anos atrás, provavelmente o tenha visto em revistas da época (anos 90). Ficou muito bom o texto, bela apresentação mesmo utilizando algumas fontes. Qualquer hora vou baixar e jogar, depois deixo minha análise também. Adriano abraço ;)

Feliphe