5 de junho de 2009

9ª POSIÇÃO: GOLDEN AXE

Pegando carona no sucesso dos filmes do Conan, a SEGA lança em 1989 uma espécie de Beat’em up medieval. Nascia aí um grande clássico para os arcades: Golden Axe. Com o seu sucesso e o sucesso que fazia o Mega Drive no seu recém lançamento, a SEGA resolve converter esse grande game para o seu console de 16 bits e enlouquecer o cabeção da molecada.

Pois é, Golden Axe só ganhou toda essa importância no M.D porque ele foi um grande sucesso nos arcades. Esse é o grande fator, basicamente, que o torna um clássico e que o faz ocupar a nona posição desse TOP Ten.

Naquela época, os games para os consoles caseiros eram fortemente influenciados pelo sucesso de games de arcades – a Nintendo que o diga – . Portanto, ter um game do porte de Golden Axe e poder joga-lo na sua sala, fazia uma grande diferença e chamava muito a atenção de nós, gamers e consumidores.

Golden Axe foi uma conversão quase “fiel” para um console. A diferença do game para a sua versão arcade foi adição de um sistema de duelo e duas fases extras no final do game. Quando você derrotava Death Adder pela primeira vez, você tinha que seguir caminho por um Dungeon linear e enfretá-lo novamente, ao final dessa fase, numa forma mais poderosa e com cara de zumbi.

A história rodava em torno de três protagonistas, com a habilidades diferentes, que tinham histórias em comum: todos os três tiveram seus familiares mortos por Death Adder e buscavam vingança. O estopim para a tal vingança e a formação do clubinho pra chutar a bunda do terrível Death Adder, foi o encarceramento do Rei e da Princesa de Yuria (a terra fantástica de Golden Axe) por esse grande vilão.

O grande diferencial da franquia, além do visual medieval, era a inserção de três personagens selecionáveis, com habilidades distintas, que podiam lançar magias ,que ficavam mais poderosas, à medida que você colecionava mais e mais poções mágicas que eram liberadas quando você dava uns sopapos naqueles anõeszinhos.

O game contava com um Bárbaro, Axe Battler, empunhando uma espada de duas mãos e com a magia da terra (ele era capaz de provocar terremotos); o anão, Gilius Thunderhead com a magia do trovão; e a Amazona Tyres Flare, com a magia do fogo. Sim, amiguinhos!! O game contava com a presença de uma mulher!! Uma Amazona, muito da fuderosa, fazia parte da tríade da vingança – Acredito eu que ela foi a primeira grande mulher a aparecer nos games muito antes mesmo do sucesso que fez a gostosa da Lara Croft –.

Por todo o seu encanto que Golden Axe nos causou e conseqüente nostalgia, ele fica com a nona posição.





6 Comentários:

Bruno disse...

Hah! Taí outra figurinha merecedora de figurar em qualquer TOP 10 de jogos, sem dúvida.
Além de "beat 'em up", dá pra gente chamar o Golden Axe de "hack n'slash", né?
Fato importante sobre o game: o desenvolvedor responsável, Makoto Uchida, é o mesmo do Altered Beast!
Outro ponto a favor: a trilha sonora, composta por Tohru Nakabayashi. A influência, como foi bem dito no texto, é toda do Conan. Aliás, alguns gritos sintetizados foram retirados do próprio filme do Conan!

Albatross disse...

caramba, bruno... vc fez mesmo o dever de casa, hein? rsrsrs. vc está certíssimo no que falou. eu só ñ coloquei esses "spin of" porque não achei que fosse fazer a diferença pra turma. mas é isso mesmo, golden axe é o pioneiro do estilo hack'n slash e teve o mesmo desenvolvedor de altered beast e tiveram mesmo, gritos sintetizados do filme do conan!! hahaha. muito bom mesmo!!
grande abraço

Junior disse...

vamos fazer parcerias? visita lá...

Adriano Rezende disse...

Cara, Golden Axe é fenomenal!
Posso dizer com toda convicção que, "Não se fazem mais jogos como esse!"

Magazine Games disse...

Cara cara... esse sim é um classico, devia estar em 1º... joguei muito isso num buteco que tinha aqui perto de casa, mas num sabia jogar e só perdia huahuaahu

Tonho Dc disse...

Gostava da Amazona por sua magia ser a melhor